Home / Tratamentos ORM / Manchas

Manchas

Como não se expor ao sol num país tropical como o Brasil?

Em qualquer estação do ano, a pele é alvo dos efeitos da radiação solar. Mesmo em dias nublados, os raios nocivos atravessam as nuvens e atingem a pele, contribuindo para o envelhecimento precoce e favorecendo o aparecimento das indesejáveis manchas na pele.

Além do sol, o principal vilão da história, os hormônios também desencadeiam as manchas escuras, conhecidas como melasmas. Em geral, eles atingem as maçãs do rosto, região da testa e parte superior dos lábios.

Causas

Causado pela produção excessiva de melanina (substância que dá cor à pele) o melasma atinge principalmente as mulheres e, mais ainda, aquelas que estão passando por tratamentos contraceptivos ou de reposição hormonal, bem como as grávidas. O problema é tão comum entre as gestantes (cerca de 75% delas sofrem do distúrbio), que o melasma é conhecido popularmente como ‘máscara de gravidez’.

Prevenção

“A primeira estratégia em relação ao melasma é tentar preveni-lo, usando chapéus e protetores solares de amplo espectro, formulados com dióxido de zinco ou avobenzona”, orienta o dermatologista Dr. Otávio Macedo. Segundo o médico, se o melasma tiver origem no uso de contraceptivo oral, é preciso interromper a medicação e usar outro método.

Tratamento

Para o tratamento do melasma, o dermatologista recomenda o uso de bloqueadores durante o dia e de substâncias clareadoras à noite. Em geral, a combinação de ácidos (retinóico e alfa-hidroxiácidos) e clareadores potentes – como hidroquinona, ácido kójico e fítico ou alpha-arbutin – são eficientes. O uso de vitamina C antes do bloqueador também é recomendado.

Dependendo do caso, o especialista sugere peelings químicos superficiais e sessões de Fraxel®Laser, que causam micro perfurações na pele, o equivalente a 1/8 de fio de cabelo. Segundo Dr. Otávio Macedo, o método é seguro para casos de melasma e foi aprovado pelo FDA, órgão do Governo Americano que controla alimentos e remédios.

Ainda de acordo com o médico, o ideal é consultar um dermatologista para uma avaliação precisa, pois nem todos os produtos à venda no mercado devem ser usados sem acompanhamento médico.

Leia Também

[line]

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *