Herpes

O Herpes é uma doença caracterizada por um conjunto de pequenas bolhas, extremamente dolorosas, que costumam surgir próximo aos lábios. No entanto são poucas as pessoas que conhecem este tipo de infecção e quais suas formas de contágio.

O desconhecimento sobre as formas de propagação e sintomas da doença é um dos motivos pelos quais o controle do vírus do Herpes se tornou questão de saúde pública. Nos Estados Unidos, a forma genital de manifestação da doença é alvo de grandes campanhas de esclarecimento junto à população, só encontrando similar nos programas de prevenção à Aids.

Prevenção

Usar filtro solar, evitar o stress e fazer uma dieta saudável são medidas para prevenir esta infecção que atinge a pele e órgãos genitais.

Dois Vírus

O herpes é uma doença provocada por dois tipos de germes. Um deles, chamado de vírus do Herpes Tipo 1, provoca o aparecimento de pequenas vesículas muito dolorosas, agrupadas como um cacho de uvas. Sua localização mais comum é a região dos lábios, mas qualquer parte do corpo pode ser afetada.

O Herpes Tipo 2 origina lesões semelhantes, localizadas na região genital (pênis ou lábios vaginais).

Contágio

O vírus do Herpes Tipo 1 é adquirido na infância através de contato com algum portador da doença, seja através da saliva, em um beijo, seja por manipulação das lesões. A maioria das crianças não chega a apresentar os sintomas desta primeira infecção e cerca de 1% delas pode ter um a inflamação grave na boca (com gengivite e estomatite). Tudo depende do local por onde o germe penetrou no organismo.

Já a contaminação pelo herpes genital se dá mais a partir da adolescência ou na idade adulta, durante a relação sexual.

Silencioso

Depois da primeira infecção na infância (tendo apresentado sintomas ou não), o Herpes Tipo 1 migra para um gânglio nervoso localizado nas regiões profundas da face, permanecendo em sua forma latente, ou seja, silenciosa. É possível passar vários anos sem que a infecção se manifeste novamente.

No entanto, a qualquer momento pode ocorrer uma recaída. O vírus, então, torna a migrar em direção à pele, alojando-se quase sempre em algum ponto ao redor dos lábios. No caso do herpes genital, o processo é semelhante.

Sintomas

Os principais sintomas do Herpes são coceira, queimação e dor, que precedem em algumas horas o desenvolvimento de vesículas ou bolhas pequenas agrupadas e cercadas por halo de vermelhidão. A ruptura das bolhinhas ocorre com facilidade, deixando uma ferida no local.

O tempo de cicatrização gira em torno de uma semana. Felizmente, o final do processo não costuma deixar cicatrizes visíveis. A reativação do vírus do Herpes se dá em crises com intervalos de tempo imprevisíveis, sempre no mesmo local do corpo onde tudo começou. A forma genital apresenta os mesmos sintomas que os causados por sua versão labial.

Crises

Ser portador do vírus do Herpes não é garantia de que você sofrerá crises constantes. Não se sabe o motivo pelo qual certas pessoas têm recaídas da doença mais frequentemente do que outras . Existem suspeitas de que ocorra uma falha temporária do sistema imunológico, causada por gripes, stress, cirurgias e até mesmo pela exposição ao sol. Sabe-se que os raios solares ultravioleta diminuem as defesas naturais da pele, assim como algumas mulheres costumam ter crises de reativação do vírus no período pré-menstrual.

Tratamento

Não existe cura definitiva para o Herpes, apesar dos avanços terapêuticos atuais. Drogas antivirais têm o poder de controlar e abortar as crises, mas não de destruir os vírus latentes. Geralmente esses remédios são administrados sob a forma de comprimidos.
Existem médicos que questionam a eficácia de pomadas ou cremes para tratar a doença. Entretanto, quanto antes for iniciada a terapia, menor a duração e menos dolorosa será a crise. Portanto, procure seu médico.

Leia Também

[line]

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *