Filosofias

Filosofia da Beleza
High tech vs High touch

A (re)evolução tecnológica (automação / robotização) que estamos vivenciando hoje está gerando um paradoxo: “High tech vs High touch”.

O que significa isso?

Máquinas e equipamentos são fundamentais. Investimos constantemente para ter os equipamentos mais modernos na

Clínica, pois consideramos isso uma premissa para atender nossos Clientes.

Porém máquinas não são um diferencial. A tecnologia virou commodity. Qualquer um que tiver condição de investir pode comprar! Esse é o “High tech”.

O “High touch” depende de pessoas. Depende da construção de relações entre seres humanos, vínculo entre médicos / equipes e pacientes.

É isso que faz a diferença. A construção de relações humanas.

Médicos cuidam, essa é a nossa missão. Cuidar significa estar presente, se preocupar, dar atenção, explicar e não ceder às vontades.

Isso é o “High touch”, é nisso que acreditamos.

Aging Gracefully

O século 21 é o século das transformações. Poucas vezes elas foram tão intensas, alterando o que parecia ser definitivo ontem por algo que se tornará obsoleto amanhã. A cada ano que passa a expectativa de vida aumenta 3 meses. Passar dos 90 anos com qualidade de vida e beleza não é mais surpreendente, é esperado.

Se há algo certo na vida é que o tempo não para. Tão certo quanto isso são as possibilidades que existem hoje para que a idade não impacte a beleza nem a autoestima das pessoas. Basta ter a consciência que cada fase da vida tem sua beleza e que é possível envelhecer lindamente de forma natural sem aparentar quantos anos viveu mas sim tudo o que aprendeu e tudo o que falta ser vivido.

As tecnologias de rejuvenescimento cada vez mais avançadas aliadas ao olhar técnico e criterioso do médico são os ingredientes principais para isso.

Envelhecer deve ser sinônimo de acumular experiências, não rugas (algumas leves e sutis são charmosas e naturais afinal, elas representam nosso repertório de histórias).

Os anos devem servir como medalhas que colecionamos, conquistando vitórias pessoais e profissionais, colecionando amigos e lembranças, aprofundando nossa compreensão do mundo à nossa volta. Nesta jornada não há motivos para acumular rugas, marcas e cicatrizes. A Cosmiatria existe para minimizar tudo isso.

A manutenção da beleza é hoje, mais que nunca, uma simples escolha que devemos fazer. Como queremos envelhecer? Como queremos que os anos tratem nosso rosto e nossa pele? Como um gentil aliado ou como um inimigo feroz?

Manter a beleza depende de um planejamento de longo prazo, um processo contínuo de cuidados com quem mais importa: Você.

Matemática da Beleza

Filósofos gregos afirmavam que “toda a beleza é matemática” e durante anos estudiosos buscaram a fórmula da beleza. Concluíram que existia uma mesma proporção presente em tudo o que era belo: na natureza, nas artes, na arquitetura e até mesmo nas proporções do corpo humano.

Essa equação recebeu o nome de Proporção Áurea ou Divina Proporção. O número ouro, resultado da relação entre duas medidas, é 1,618 representado pela letra grega “phi” em homenagem ao escultor Phideas que usava essa equação nas suas obras.

Grandes artistas renascentistas, como Leonardo da Vinci, se apropriaram da Proporção Áurea para realizar suas obras, sendo a Mona Lisa, o Homem Vitruviano e A Última Ceia alguns exemplos.

Utilizamos esse mesmo princípio mapeando a face a partir de cálculos sempre respeitando a natureza de cada rosto para que regiões assimétricas sejam corrigidas com harmonia e equilíbrio. O objetivo é obter a precisão dos contornos e o equilíbrio de proporções com naturalidade.

Less in more

Muita gente pensa que “se um pouco é bom então muito é melhor”.

Nem sempre.

Quando o assunto são procedimentos estéticos isso certamente não é uma verdade. Nesse tema, o menos é mais, a experiência do olhar e o critério da análise são premissas para os bons resultados.

Os injetáveis, por exemplo, têm resultados excelentes no rejuvenescimento desde que utilizados na quantidade certa, aplicados nos locais corretos e – claro – utilizando produtos de alta qualidade.

O resultado final é um rosto rejuvenescido e natural. Um semblante leve e harmonioso a ponto de chamar atenção das pessoas que não sabem identificar se algum procedimento foi de fato realizado.

Prejuvenation

Atualmente a palavra de ordem em todos os ramos da Medicina chama-se prevenção, já que é muito mais fácil resolver qualquer problema no início do que reverter um problema quando ele já ganhou alguma dimensão.

“Prejuvenation”: palavra cuja origem vem do cruzamento entre prevenção e rejuvenescimento. É uma tendência crescente entre jovens adultos que começam a fazer procedimentos estéticos leves antes dos 30 anos. A “cultura selfie” e a pressão sobre a aparência gerada pelas mídias sociais tem acelerado esse movimento.

Um dos principais conceitos do “Prejuvenation” é postergar ao máximo o aparecimento das temidas rugas e linhas treinando os músculos faciais a se moverem menos. A conveniência desse tipo de procedimento que não apresenta “downtime” é sem dúvida um atrativo a mais para os jovens.

Existe um outro fenômeno que vêm atraindo um público cada vez mais jovem a realizarem tratamentos estéticos. Trata-se do “text neck” ou “tech neck”. Causado pela inclinação excessiva do pescoço para baixo, o “text neck” vem acarretando uma “flacidez precoce” da região entre o queixo e o pescoço formando a papada também chamada de queixo duplo.

Para se ter uma ideia, ao abaixar para mexer no smartphone, a cabeça fica em um ângulo de 60°, o que faz com que o peso dela passe de 7 para 27 quilos, ocasionando não só o “text neck”, mas outros danos no pescoço e coluna. Esse fenômeno já é considerado pela Organização Mundial da Saúde (OMS) como uma epidemia global.

Cadastre-se e receba dicas de saúde preparadas especialmente pelo Dr. Otávio Macedo e sua equipe!

* Todos os campos são obrigatórios